Docentes recebem menos

15/01/2019 | Folha de Londrina / Foto: FreePik

Embora reconheça limitações orçamentárias para o pagamento do piso nacional do magistério, o presidente da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), Aléssio Costa Lima, defendeu a valorização da categoria para que haja uma média salarial compatível com a de outros funcionários públicos que possuem o mesmo nível de qualificação.

"Isso é um dilema a cada ano. Ao mesmo tempo em que a gente gostaria de valorizar os professores com um aumento que não seja só a correção da inflação, mas que represente algum ganho real, a gente se depara com a questão das limitações orçamentárias e financeiras e isso tem gerado um descompasso. Entretanto, hoje a média de remuneração nacional dos professores de nível superior, por exemplo, é de 75% em comparação com os ganhos dos demais profissionais públicos de outras categorias também com nível superior, ou seja, eles não são valorizados", analisou.

Lima ressaltou que bons salários são necessários para tornar a carreira atrativa e melhorar a qualidade do ensino. "Uma boa educação acontece quando a sociedade daquele país reconhece a importância do magistério. Esse reconhecimento e valorização se dá também pelo nível salarial desses profissionais, além de boas condições de trabalho e formação continuada. Nós acabamos perdendo bons profissionais para outras áreas. Profissionais que têm vocação para o magistério, mas acabam fazendo opção de seguir outras carreiras porque ser professor ainda é pouco valorizado neste país. Tanto é que os cursos de licenciatura em universidades públicas e privadas do país são os cursos com menor concorrência", lembrou o presidente da Undime.

Para ler e ouvir a matéria completa, clique aqui.

https://bit.ly/2CnECy1