Gestão de qualidade e melhoria no IDEB

10/09/2018 | Conviva Educação
Cover val2

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) divulgou os dados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2017. Criado em 2007, esse indicador é composto pelos resultados do fluxo escolar (obtido pela aprovação do Censo Escolar) e das médias de desempenho dos estudantes de 5º e 9º anos nas avaliações do Inep – no caso dos municípios, a Prova Brasil.

Embora não seja a única forma de avaliar a aprendizagem dos estudantes e a qualidade do serviço prestado pelas escolas, é um indicador muito esperado: ele permite, de forma rápida e mesmo por leigos em educação, o acompanhamento de quanto os municípios e as escolas avançaram em relação a anos anteriores e a outras localidades e escolas.

Abaixo, você encontra as experiências de três secretarias de educação que têm se esforçado para fazer uma gestão da educação de qualidade: Lago do Junco (MA), Lagoinha do Piauí (PI) e Valparaíso de Goiás (GO). Nos últimos dias, as equipes vibraram com a melhorias no IDEB e dividiram essa alegria com a reportagem do Conviva, conforme você lê a seguir.

 

Em Lago do Junco, Maranhão, as ações são articuladas desde 2013

“Quando a secretaria está organizada, é possível fazer uma gestão pedagógica de qualidade. Por isso, procuramos deixar satisfatórios os serviços de merenda para que as crianças estejam bem alimentadas e se desenvolvam, assim como o de transporte, permitindo que os pequenos cheguem na escola pontualmente e aprendam melhor.

        

Quando assumimos a secretaria, em 2013, não havia profissionais da nutrição responsáveis pelos alimentos ou planejamento das rotas de transporte. Como os estudantes não se sentiam bem nas escolas ou nem viam condições de chegar até elas, havia evasão e distorção idade-série.

Em 2015, começamos a utilizar o Conviva e avançamos cada dia mais: hoje há um técnico na secretaria responsável pelo preenchimento das ferramentas da plataforma que, aliado aos coordenadores de cada setor, organizam as informações e fazem suas análises. Se enfrentam dúvidas, contam com o apoio da articuladora em nosso estado. Temos clareza que o Conviva nos indicou um norte a seguir.

Partimos de um IDEB 3,4 em 2013 para chegar em 2017 com 5,2 nos anos iniciais (enquanto que a média do estado é 4,5) e 4,3 nos anos finais. Temos o 5º IDEB mais alto do Maranhão e o 1º da nossa região.

Fonte do gráfico: QEdu.org.br. Dados do Ideb/Inep (2017).

Para isso, trabalhamos duro: procuramos dar foco à qualificação do professor, fazer parcerias com universidades e investir em formação continuada, temos programas de educação integral e presença das famílias nas escolas, ampliamos a oferta de educação infantil e estabelecemos uma parceria com a assistência social para acompanhamento das crianças. Acreditamos que todos esses fatores têm uma relação direta com a aprendizagem dos estudantes.

Nasci e me criei em Lago do Junco: eu e minha equipe temos responsabilidade perante os profissionais da educação e estudantes, então procuramos oferecer a o melhor que eles merecem.” Depoimento de Marcony Wellynton Oliveira Pinheiro, Dirigente Municipal de Educação de Lago do Junco, Maranhão

 

 

Todo final depende do começo, acredita o dirigente de educação de Lagoinha do Piauí, no Piauí

“Acredito que só conseguimos os avanços atuais porque iniciamos nossa gestão em 2017 com clareza nos objetivos que deveriam ser alcançados. Afinal, todo final depende do começo: desde que soubemos que assumiríamos a secretaria, organizamos nossa rotina, traçamos metas para a equipe e procuramos trabalhar de forma coletiva.

   

Utilizamos muito a plataforma Conviva para isso e vimos como nosso esforço de incluir os dados no sistema não foi em vão. Acompanhamos sistematicamente o andamento da rede, como fluxo e aprendizagem, e pretendemos fortalecer a formação dos professores para que os avanços do IDEB sejam mantidos e até melhorados. Enquanto a nossa meta de 2017 era de 5,2 para os anos iniciais, alcançamos 6,1. Para os anos finais, era 4,6 e chegamos em 5,0 no IDEB.

Fonte do gráfico: QEdu.org.br. Dados do Ideb/Inep (2017).

Quando fomos finalistas da ação de Reconhecimento do Conviva em 2017, a equipe se uniu e acreditou ainda mais que os avanços eram possíveis. Nosso município tem menos de 3 mil, mas está entre os 6 melhores índices do estado. Pretendemos compartilhar esses resultados com as escolas, comemorando os avanços e fazendo planejamento consistente para 2019.” Depoimento de Franklis Lima Leal Pinheiro, Dirigente Municipal de Educação de Lagoinha do Piauí, Piauí

 

 

Em Valparaíso de Goiás, em Goiás, comunicação entre a equipe é essencial

“Quando assumimos na secretaria de educação, a estrutura das escolas era ruim, o IDEB estava abaixo da meta e os professores se sentiam desvalorizados. A situação era bastante desafiadora, mas acreditávamos que era possível melhorar se ajustássemos os processos da secretaria. Por isso, ver o avanço de 4,9 em 2015 para 5,2 no IDEB 2017 nos anos inicias já é uma alegria e nos da energia para melhorar ainda mais. Atingimos a meta esperada!

Fonte do gráfico: QEdu.org.br. Dados do Ideb/Inep (2017).

Entre a equipe, procuramos ter uma comunicação precisa: os setores reúnem-se todas as semanas para avaliar o que deu certo e planejar a semana seguinte – e se um imprevisto acontece nesse intervalo, o grupo encontra-se novamente. Passamos a seguir as orientações da Undime e a utilizar a plataforma Conviva para apoiar o trabalho administrativo, tendo uma pessoa responsável por alimentar o sistema. Como vivemos um momento de grandes desafios financeiros, nos apoiamos muito na plataforma para organizar o transporte e a merenda. Com os dados do Censo Escolar importados para a plataforma, temos um retorno rápido das áreas administrativa e pedagógica.

      

Para além da secretaria, buscamos colocar foco na formação de professores, e principalmente, na de diretores e coordenadores pedagógicos. Eles precisam estar alinhados com o trabalho da secretaria e acompanhar nossa linha de pensamento para que nada interfira no resultado lá na ponta, nas escolas. Todos têm que estar empenhados! A educação funciona como uma máquina: se uma peça quebra, prejudica o restante. No início de 2018, tivemos uma semana de formação com os gestores escolares, explicando todas as divisões da secretaria. De lá para cá, mantivemos o diálogo para alcançar o aperfeiçoamento das áreas administrativa e pedagógica da equipe.” Depoimento de Rudilene Alves de Farias Nobre, Dirigente Municipal de Educação de Valparaíso de Goiás, Goiás

 

 

 

Notícias Relacionadas